Divisão do IFSP: segundo jornal, Campinas e São José do Rio Preto serão sedes das duas novas reitorias

25/03/2018 12:01

Em matéria publicada no Jornal Correiro Popular de Campinas no dia 25.3.2018, as cidades de Campinas e de São José do Rio Preto aparecem como as futuras sedes das duas novas reitorias dos institutos que podem ser criados a partir da divisão do IFSP. Leia a matéria escrita Rogério Verzignasse:

"Campinas deve se tornar sede de reitoria do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), um dos mais antigos centros públicos de ensino, fundado há mais de cem anos. A administração do instituto funciona na cidade de São Paulo, mas a direção pretende inaugurar duas sedes no Interior — uma em Campinas e outra em São José do Rio Preto — para descentralizar o atendimento aos 36 campus de todo o Estado. A reitoria campineira, no caso, deve abranger pelo menos 14 deles.

Para a criação efetiva das reitorias regionais, o IFSP ainda depende de regularização legal. Mas o detalhe não preocupa a instituição: já existem moções de apoio assinadas por lideranças importantes do setor de Ciência e Tecnologia. A passagem pelo Legislativo é vista como uma etapa natural do processo.

O atual reitor do IFSP, por sinal, tem uma relação muito forte com Campinas. Eduardo Antônio Modena, técnico em edificações formado no próprio instituto ainda nos 70, fez doutorado em engenharia civil pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Trajetória

O Instituto Federal nasceu em 1909, por meio de um decreto assinado pelo então presidente Nilo Peçanha. Desde então, foram inauguradas 600 unidades, pelo Brasil todo. Só no Estado de São Paulo são 36.

A unidade campineira funciona em dependências cedidas pelo Centro de Tecnologia da Informação “Renato Archer” (o CTI), às margens da SP-065. São oito salas de aula, laboratórios e biblioteca. Lá são oferecidos cursos médios e superiores nas áreas de eletrônica e desenvolvimento de sistemas.

Mas a entidade já investe na instalação de um novo campus, em um terreno de 20 mil metros quadrados, no distrito do Campo Grande. Além de projetar a ampliação dos serviços prestados, já são firmados convênios inéditos com empresas e instituições privados para o desenvolvimento de projetos.

A parceria com o CTI, no entanto, ainda promete durar anos. De acordo com o diretor da unidade campineira do IFSP, Eberval Oliveira Castro, no próprio centro de pesquisa pode ser instalada a reitoria regional. No CTI, cita, já existe a logística operacional efetiva, funcional, e uma estrutura instalada com quase dois mil metros quadrados de área construída."

Voltar