Princípios da atuação no Conselho Superior

1. Autonomia em defesa dos ideais dos Docentes

Com autonomia, agirei com total independência de pressões que, eventualmente, possam acontecer por parte de gestores da instituição (Reitor, Pró-Reitores, Diretores e etc.). Esta independência é uma questão ética, logo, inegociável.

Proporei, a partir de discussão com a comunidade docente - e seu aval, a reformulação do Estatuto do IFSP em sua totalidade, com atenção à questão do impedimento da participação de representantes no CONSUP em cargo de confiança.

Uma hipótese seria a de criar a proposta de quarentena: somente quem estiver há – pelo menos -  um ano sem cargo de confiança poderá assumir a representação no CONSUP e, por igual prazo, não aceitar posteriormente qualquer cargo de confiança por indicação (discussão a ser proposta aos meus pares como um início para o tema).

2. Ser representante dos Docentes – Discutir com a Comunidade


Todas as decisões a serem tomadas no Conselho Superior, por mim, serão com base em consulta prévia aos docentes: sem ela, serão pedidos novos prazos. Para atendimento deste princípio, proponho:

  • transparência de informações sobre as matérias a serem discutidas no CONSUP.
  • rapidez na divulgação das informações;
  • criar mecanismo de consulta pela Internet, fazendo levantamentos sobre o posicionamento dos docentes em relação as matérias analisadas no CONSUP.

3. Transparência na Atuação no CS

O trabalho do um Conselheiro somente se torna efetivo quando há transparência, pois assim os seus representados e a comunidade podem cobrar pelo trabalho desenvolvido. A partir deste princípio, trabalharei para atingir os seguintes objetivos:

  • apresentar periodicamente à comunidade o trabalho desenvolvido no Conselho Superior na forma de relatório semanal;
  • disponibilizar pela internet todos os documentos a serem debatidos no Conselho Superior;
  • propor a realização das reuniões do Conselho Superior em auditórios com total infraestrutura;
  • solicitar que as reuniões do Conselho Superior sejam transmitidas pela internet;
  • cobrar agilidade para a publicação das atas do Conselho Superior, de preferência em um dia;
  • divulgar as pautas e documentos das reuniões.

4. Rapidez na Divulgação de Informações sobre o CS

A participação dos representados no Conselho Superior poderá ser facilitada se houver agilidade na divulgação dos temas as serem discutidos. Por isso, têm-se os compromissos:

  • Criar mecanismos que torne ágil o fluxo entre o conselheiro e os seus representados.
  • Utilizar redes sociais para facilitar a comunicação.
  • Criação de fórum pela Internet para viabilizar discussões de temas.

5. Colaboração Institucional

É importante o Conselheiro saber colaborar institucionalmente e não ter a postura de, simplesmente, fazer críticas. Com este princípio, é proposto:

  • Colaborar com os gestores do IFSP para o cumprimento das demandas da comunidade do ISFP.
  • Integração e diálogo permanente com integrantes com a CPPD (Comissão Permanente de Pessoal Docente).
  • Diálogo permanente com integrantes da CISTA (Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos de Técnico-Administrativos em Educação).
  • Diálogo com as representações estudantis.
  • Diálogo com entidades representativas dos servidores do IFSP.