Greve: Comando de Greve do IFSP publica Nota

23/06/2014 09:41

No dia 19.06.2014, o presidente do SINASEFE-SP, em nome do Comando de Greve, publicou "Nota" por e-mail e em gupos da redes sociais. A nota está reproduzida abaixo. No dia anterior (18.06.2014) a publicação da Nota, o Prof. Luciano havia solicitado que o SINASEFE-SP convocasse uma assembleia geral e passasse informações claras.

Nota do Comando de Greve

Tendo em vista inúmeros rumores negativos pelas redes sociais da internet, e sobretudo cumprindo sua tarefa de informar adequadamente os seus filiados, a seção SP do Sinasefe, por meio do Comando de Greve, emite esta nota de esclarecimento da situação do movimento paredista na última semana.

1. A assembléia geral da seção, realizada há uma semana, dia 13, propôs a interrupção da paralisação no campus SP e entre os servidores locados na Reitoria, dada a baixa adesão, principalmente entre docentes, nas duas áreas. Desde o início do movimento em 22 de abril, a grande maioria dessas duas comunidades não aderiu ao chamamento do sindicato. A votação favorável a essa medida foi vencedora, mesmo diante da proposta contrária de continuidade da greve.

2. A Seção SP continua em greve, porque há vários campi ainda paralisados no IFSP , como Barretos, São Carlos, Itapetininga, Cubatão, Caraguatatuba e Campos do Jordão, portanto a greve continua, como recomenda o Sinasefe Nacional, tendo os campi autonomia para decidirem a permanência ou não, segundo regimento do Sinasefe, que foi adequado à expansão da rede.

3. A 122a. Plenária do Sinasefe Nacional, ocorrida em Brasília no final de semana passado, dias 14 e 15, enviou um delegado da seção SP para relatar o que vem ocorrendo no IFSP e também contribuir para a discussão sobre os rumos do movimento. A Plenária foi unânime quanto ao prosseguimento da greve, que continua firme em 19 das 27 unidades federativas, não se cogitou sequer a votação em relação ao tema da suspensão. Portanto os campi do inteiror de SP que continuarem em greve estarão seguindo o que ocorre na maior parte da Rede de IFs do pais.

4. A greve até o momento foi vitoriosa , entre outros motivos, pelo avanço nas pautas locais dos IFs, todos relataram que em virtude do movimento as suas reitorias já pactuaram inúmeras alterações visando atender as demandas dos servidores mobilizados, e não é diferente da situação no IFSP. Neste o Comando de Greve reuniu-se em 20/05 com representantes da Reitoria para discussão da pauta local, tendo obtido resposta no ultimo dia 5, a qual se encontra publicada neste site. Portanto embora ainda não terminado, o movimento paredista já é vitorioso. Aliás toda greve, mesmo que não alcance todos os resultados almejados, já é em si vitoriosa, pois é momento de união e reflexão coletivas.
5. Uma liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de terça-feira , 17/06, considerou abusiva nossa greve e pede sua suspensão imediata, com multa diária de 200 mil reais contra o Sinasefe Nacional, caso não ocorra a interrupção . A Nacional e sua assessoria jurídica já estão com pedido de recurso contra esta decisão autoritária da Justiça. A liminar contribui para descaracterizar ainda mais o governo cujo partido defendeu causas históricas dos trabalhadores até recentemente. O Sinasefe Nacional repudia com veemência essa decisão e conclama os campi a resistirem até o recurso ser analisado pelo STJ.

6. Na Reitoria e campus SP um calendário de reposição de horas para os TAEs já foi negociado ontem, 18/06, e o calendário para reposição das aulas dos docentes deve ser elaborado a partir de reunião com as lideranças dos estudantes desse campus na próxima quinta-feira , 26/06.

7. Quaisquer notícias ou informações acerca da greve dos IFs e da situação no IFSP devem ser divulgadas, e portanto buscadas, nos boletins do Comando de Greve da seção SP ou da Nacional em Brasília, em seus respectivos sítios da internet ou via telefone. Ninguém está autorizado a publicar, isoladamente, material na internet ou em qualquer outro meio de divulgação em nome do Sinasefe, como vem ocorrendo.

São Paulo, 19 de junho de 2014. Assina o Comando de Greve do SinasefeSP

NOTA EXTRAORDINÁRIA

Há rumores de sindicalizados querendo ou já se desfiliando de nosso sindicato por insatisfação com os rumos desta greve e outras questões. Lembramos que o sindicato é feito por seus membros, é uma instância democrática, com eleições periódicas, disputadas por chapas livremente criadas e com discussões coletivas permanentes por meio de suas assembléias. Portanto o descontentamento pode ser, antes da desvinculação eventual, discutido pelo diálogo razoável entre os representantes da seção SP e os sindicalizados. Lembramos ainda que o movimento sindical é uma conquista histórica dos trabalhadores e, até o momento, a maior forma de luta e conquista de direitos na sociedade de classes. Até mesmo os grupos dominantes mantêm seus coletivos que defendem seus privilégios, como são o caso da FEBRABAN ( Federação Brasileira de Bancos) que reúne os banqueiros, da FIESP ( Federação das Indústrias do Estado de SP) que aglutina os grandes industriais paulistas, e a famigerada UDR ( união democrática ruralista) que reúne os grandes latifundiários do Brasil. O associativismo é necessário, tanto para trabalhadores como para patrões, pois todos entenderam há muito que isolados nada se conquista ou se mantém. E neste momento histórico, de arrefecimento das políticas neoliberais, muitos direitos nossos estão sob ameaça. Uma reflexão para os que se decidam pela desfiliação. A propósito disso nas duas últimas semanas nosso sindicato obteve duas vitórias contra o governo: a que justifica o pagamento de ferias aos servidores afastados para capacitação e uma demanda antiga de servidores aposentados quanto à incorporação de benefícios de cargos comissionados.

Voltar